Desde pequeno eu sempre gostei de colecionar e sempre pensei o que vai ser dessa coleção quando eu morrer? Ou por que gastamos dinheiro com essas coisas, então finalmente tentei entender e pesquisar o motivo, o por que colecionamos.  Hoje vou tentar deixar o fator da importância histórica de colecionar de lado para tentar focar mais nos conceitos da psicologia ou simplesmente do comportamento humano. E você, por que você coleciona?

Leia o resto deste post »

No Blog sempre recebi comentarios com pessoas falando de tal mangá raro ou não que tem e gostaria de vender ou trocar, já teve até usuario começando uma negociação do raro Slam Dunk nº31, então estou com uma ideia nova para o blog, criar uma área dedicada a troca e venda de mangá entre os usuarios do blog, ou mesmo uma página a parte no blog para divulgar os quadrinhos que tal usuario está querendo vender ou trocar e seus dados para contatos.

Gostaram da ideia? Então você que quer vender ou trocar algum quadrinhos, comente aqui com seus dados de contato e quais são os quadrinhos que você quer neogicar e em breve teremos uma página só voltada a isso, aguardem.

E vote tambem na votação dos melhores lançamentos no Brasil em 2012 a alguns posts abaixo, em Fevereiro um especial com o resultado.

Que Assassin’s Creed é uma franquia de sucesso em todas suas mídias não é novidade, porém o terceiro livro da série deixa a desejar e  opta por seguir o caminho mais simples, mostrando que ser um best seller não é sinônimo de qualidade.

O livro provavelmente voltado a leitores ocasionais que migraram pelo videogame na tentativa de criar um dinamismo que acaba por deixar o livro raso, com uma leitura básica que às vezes até subestima o leitor. Sem dúvida o grande ponto positivo do livro é um dos dois plots da história.
O primeiro é a história do primeiro jogo da série, fala por fala o que acaba por ajudar o público nacional já que o jogo de 2007 não tinha nem legendas em inglês. As falas foram transpostas sem problemas e até combinam com o “dinamismo” do livro que não da mais detalhes dos locais e das ações, o que é positivo para quem jogou o primeiro título da série, porém para quem não tem familiaridade com os jogos tudo pode ficar meio vago.
O problema da história fica na segunda metade do plot que se passa após o fim do jogo, onde ao aprofundar sobre Altair e suas relações com os demais personagens o livro parece forçar algumas situações, como sua paixão por Maria, para que Altair fique mais carismático e diminuindo suas características de arrogante e anti-herói que são essenciais no caráter do protagonista. Outra coisa a desejar é que o livro não usa toda profundidade que a mídia oferece a ele, pouco mostrando mais do contexto história da obra, as cruzadas, um dos períodos mais ricos de informação da história, esse um ponto alto do game que explora a época vivida, o livro preferiu só manter isso, quando podia dar contextos das guerras maiores para os leitos
Vale lembrar que no livro Desmond, o protagonista dos dias atuais da série, não aparece, todas as partes dele no jogo são substituídas por flashbacks da infância e adolescência do Altair, dando um background maior ao personagem e amarrando as pontas com o fim do jogo, algo que só no livro pode ser feito.
Pelo custo beneficio do livro que hoje pode ser achado por cerca de R$: 20,00, o livro vale a pena se você quer saber mais sobre o passado de Altair, porém se você esta acostumado a um escrita mais profunda, mesmo de outros best sellers como As crônicas de fogo e gelo, Hobbit e até mesmo da literatura fantástica nacional, sem dúvida você ira estranhar a simplicidade do autor Oliver Bowden.
Jogadores  não terão problemas em se ambientar ao livro, mas de toda forma vale também para quem quer entrar na série, que é uma das maiores franquias dos games na atualidade com méritos, principalmente na história.

Vale ressaltar a qualidade física do livro com relevo na capa que mostra como a Galera Record cuidou bem do título, além de lançar quase que 4 livros da série em menos de 2 anos. A tradução também ficou ótima.

Mangá Awards Brasil ? ou não.

Publicado: janeiro 22, 2013 em Uncategorized

Depois de quase 6 meses parado o blog está de volta, agora formado, terei mais tempo livre para postar e focar os posts mais nos problemas e nas curiosidades de quem coleciona. Porém marcar esse retorno resolvi fazer uma enquete com vocês referente aos melhores lançamentos de 2012 no país, afinal essa época é normal essas enquetes com filmes e games. A ideia veio após ouvir o podcast do pessoal do Mangá². Então vote e veremos na opinião dos colecionadores os melhores lançamentos de 2012 nas bancas nacionais.

Leia o resto deste post »

A volta do Juiz Dredd.

Publicado: agosto 23, 2012 em Quadrinhos
Está chegando aos cinemas o último filme de herói do ano, Juiz Dredd, o juiz mais famoso dos quadrinhos, mas que por aqui ainda é mais popular pelo filme de 1995 estralado por Stallone.
Diferente da maioria dos quadrinhos pop ele foi criado no Reino Unido em 1997 na revista 2000 A.D (que é lançada até hoje) e aqui no Brasil pela EBAL no longínquo ano de 1979.

Leia o resto deste post »

Rasputin da história para Soul Eater.

Soul Eater chegou às bancas nesse dia 30 e junto com ele aproveito para uma nova coluna do blog, História com Mangá, nada mais que uma introdução de momentos e personagens históricos que dão sua graças no mangá. A idéia é de forma rápida e simples passar algo que está ligado ao mangá, assim a pessoa pode se interessar ou não pelo assunto e se aprofundar por conta própria.

Então vamos lá!!!

Leia o resto deste post »

Depois de muita espera com mais uma mudança de visual na volta de Sakura Card Captor nas bancas brasileiras, a volta de K-on, a chegada Freezing e a reta final de muitos títulos e com quase 780 edições computadas para esse ranking, sempre pelo Guia dos quadrinhos e a comunidade da JBC.

Leia o resto deste post »