Arquivo da categoria ‘Traduções’

Muita gente reclamava, chiava e sem muito alarde a JBC mudou o tradutor de Fairy Tail nessa edição de Março. Até a edição atual a tradução era feita por Fran & Guilherme Briggs, ambos substituídos na edição 16 por Luiz Octavio Kobayashi, velho conhecido do público nas traduções de Yu Yu Hakusho (do Nº20 em diante), Sakura Card Captors, Tsubasa e outros títulos.

O motivo da troca não foi divulgado, tentei entrar em contato com a editora e assim que tiver uma resposta atualizarei esse post.

Uma edição é pouco para notar se a tradução sofreu uma grande mudança, mas as gírias e ditados populares seguem no mangá, afinal esta é o padrão da editora. E você o que achou da troca? Vai ser melhor ou não? Opinem.

Em resposta a editora avisou que a publicação brasileira passou a americana, então de agora em diante a tradução será feita direta do japonês pelo Luiz Kobayashi. Uma tradução do original é infinitamente melhor que uma tradução da tradução como era feita antes, independente do tradutor.  Infelizmente não foi assim desde o começo, mas espero que essa mudança só melhore a série, que é uma das mais vendidas no país.

Anúncios

Esse post é uma “tara” de um futuro tradutor, não resisti e acabei fazendo um cotejamento das traduções dos Cavaleiros do Zodíaco da Conrad feita pelo Luy Coutinho e com a tradução da JBC feita pela Karen Kazumi.

Mostrarei simplesmente como uma mesma obra por ter traduções tão distintas , nem vou julgar o que é certo ou errado, afinal, nem sei se a obra original usada foi em inglês ou japonês é apenas para comparar as diferenças. Então, vamos lá :

Saint Seiya – Cavaleiros do Zodíaco, Editora Conrad, Edições Nº1 e Nº2 – Ano: 2000 – Tradutor: Luy Coutinho.

Saint Seiya – Cavaleiros do Zodíaco, JBC, Edição Nº1 –ano:2012- Tradutora: Karen Kazumi

Golpes

Conrad: É sempre o que mais chama a atenção dos fãs a primeira vista. A versão da Conrad escolheu manter o nome original do principal golpe do Seiya: “Meteóros de Pégaso”. Já o golpe da Shina teve uma adição no nome original ficando como “Pelas Garras do Trovão”, assim só o “Hanging Bear do Geki” que sofreu uma alteração ficando “A Garra do Urso”.

JBC: A opção da editora foi manter as formas consagradas no anime exibido pela Manchete, algo que sem dúvida foi escolha editorial e não do tradutor.Ficaram: “Me de sua força pégasus” e outras vezes “Meteoro de Pégaso”, “Venha Cobra” e “O Abraço do Urso” que literalmente é uma escolha mais certa do que “A garra do urso” da Conrad.

Nome dos Cavaleiros

Conrad: Aí foi onde a Conrad cometeu realmente algo que pode ser chamado de erro de tradução e revisão colocando Jabu como cavaleiro de Capricórnio e só sendo corrigido na segunda reimpressão.

JBC: Aqui os nomes originais foram mantidos até mesmo Lionet para o Ban de Leão Menor.

Jornal – Na primeira edição existe uma página dupla com um jornal fazendo a divulgação da guerra galáctica, aqui é quando vemos como duas traduções podem ser tão diferentes.

Conrad: A Conrad optou por fazer algumas adaptações do original e traduzindo o nome como Torneio Intergaláctico. O jornal chama-se:  Cotidiano – Ano 61 da Era Showa (1986) – Conrad Esportes – Quarta-Feira – 10 de Setembro.

JBC: A opção aqui foi deixar apenas a data ocidental, onde a versão da Conrad vinha com a data e o mês, veio com  entrega via correio, além de manter o nome da versão original do jornal. Ficou: Jornal Diário – Dia 10 de setembro de 1986, Quarta feira – SHUEI Esportes – Entrega via correio.

Porém ao meu ver as frases que mais ficaram diferentes foram as da Shina no confronto com o Seiya, veja alguns exemplos:

Conrad: Seiya esse uniforme…

JBC: Se…Seiya essa armadura…

Conrad: Então… ele merece.

JBC: Talvez o Seiya tenha conseguido se tornar mesmo um temido cavaleiro…

Conrad:Não consegui enxergar nenhum dos golpes que ele usou contra os homens. Seu ataque ultrapassou a velocidade do som… sem sombra de duvida.

JBC: Não consegui enxergar os golpes que ele lançou contra eles! O ataque dele ultrapassou a velocidade do som…

Conrad: Então esses são seus meteóros de pégasos?

JBC: Huh! Não me faça rir.Chama isso de meteoros?

Esse cotejamento mostra como uma obra pode ter traduções que passam a mensagem e são bem diferentes entre si, além de mostrar na minha opinião, como a tradução de mangás amadureceu nesses mais de dez anos que separam uma tradução da outra.

Cada um tem sua preferência, afinal tradução é feito de escolhas, eu gosto muito da tradução da JBC da Karen Kazumi e para você, qual é a tradução que mais lhe agrada?