Os JRPG’S de 2020

Em 2020 durante essa longa quarentena, os rpgs japoneses me ajudaram a passar por ela e visitar outros mundos, enquanto estava preso em casa. Aqui vai minha singela opinião de alguns que joguei e por ser um gênero de nicho, nem todos tem grande espaço na mídia.

Bora lá!

Fairy Tail

A ideia de fazer jogo de RPG de um anime de ação e exploração é sempre boa, mas infelizmente o jogo de Fariy Tail não tem o que precisa para ser um bom jogo. Se você é fã da série sem dúvida o jogo vai te fisgar pelos personagens, roupas, poderes e referências, mas como jogo, principalmente no Switch ele tem texturas muito mal finalizadas, os itens pelo cenário são literalmente símbolos ovais amarelos mal feitos espalhados, a história tem um ritmo bem truncado, em muito lembrando um jogo mediano de Playstation 2.

O melhor fica por conta do combate que não é revolucionário, mas funciona bem e tem um menu de combate visualmente bonito, assim como os golpes dos personagens que são visualmente legais. Se você é fã da série vale dar uma chance, se você só quer um bom rpg para jogar existem opções melhores no Switch e PS4.

Paper Mario: The Origami King

Paper Mario é uma série que eu sempre escutei falar e nunca tinha jogado, para a fanbase o jogo original de Game Cube é uma obra prima e o resto da franquia é questionável.  Ainda sim fui animado para o jogo que tem muita coisa boa e outras nem tanto assim.
A construção de mundo é muito boa, colorido e cheio de segredos escondidos pelo cenários o jogo tinha um prato cheio na mão, mas ele consegue intercalar áreas extremamente interessantes com outras monótonas, quebrando o ritmo do jogo. Hora eu amava jogar e queria mais daquele mundo, hora já não aguentava mais.

O mesmo vale para o combate que é super interessante e desafiador contra chefes únicos, com cores vibrantes, designs interessantes e ideias legais, faz realmente você pensar na melhor estratégia a cada boss. Porém no mundo em si, depois de 10 horas, você já não aguenta mais ter que lutar contra Goombas aleatórios e literalmente você não precisa pensar em nada no combate e são ondas de Goomba aleatório um atrás do outro. E como o jogo não tem level, você aumenta sua vida coletando certos corações durante o jogo, esse grind fica só chato quando o jogo coloca diversos inimigos comuns para você lidar.

Paper Mario é um jogo que mesmo depois de mais de 20 horas jogadas me divide me fazendo querer jogar mais dele e outras horas simplesmente dropar o jogo. Mas não tem como negar que o mundo, designs, piadas e referências ao universo Mario em cores vibrantes  e suas  boss battles me encantam demais e acho que se você puder jogar sem pagar R$350,00 ele vale muito a pena.

New Sakura Wars

Por não ter Sega Saturn ou Dreamcast, Sakura Wars sempre foi uma franquia que olhava de longe com interesse até finalmente poder jogar esse soft-reboot exclusivo de PS4.

O jogo é um novo começo cheio de paralelos com os antigos, afinal mesmo sendo um novo universo ele é o futuro dos jogos anteriores, por isso ele é bem expositivo o que para mim um jogador novo na franquia foi muito bom. Sem dúvida New Sakura Wars tem muito mais de visual novel que de combate. E isso é bom, pois aqui por muitas vezes eu me sentia um diretor de um anime harém.  Onde no fundo as escolhas não tem um peso ou uma diferença tão grande no universo do jogo, mas se aquilo vai ser engraçado, serio ou galhofa depende de você e isso acaba sendo muito divertido e leve de se jogar, ainda mais pra mim que sai abalado do final de The Last of Us Parte II para Sakura Wars.

O combate é bem simples, cada personagem tem seu mecha, com um estilo de combate de perto, médio ou longo alcance. Diferente dos jogos do passado que eram táticos aqui o jogo é um action rpg, que lembra Tales of. Muitas vezes que o jogo vai fazer a história progredir ou dois personagens aumentarem o level da sua relação tem algum combate envolvido. A impressão que tinha é que pelo orçamento da Sega no jogo, eles acabaram deixando o combate mais raso e focando mais nas cenas em anime e em criar uma história mais longa focando no visual novel. Ainda sim o jogo deixa você refazer batalhas passadas com o diversos personagens caso queira.  New Sakura Wars é um jogo bem leve, com uma trilha sonora animadora, personagens com estereótipos definidos e divertido, que vai fazer você sair feliz dessa experiência.  Se você curte animes e JRPG ele pode ser ótimo para você.

Lembrando que o design dos personagens foi feito por Tite Kubo, autor de Bleach e que o mangá da franquia original chegou em 2020 no Brasil pela JBC.

Final Fantasy VII Remake

Pra qualquer pessoa que viveu a metade dos 90 sabe o que era Final Fantasy e ainda mais o sétimo jogo da série, que apesar de gostar muito nunca foi meu favorito, mas foi onde eu lembro de então na sexta série, das pessoas que jogavam videogame na escola comentando sobre ele, em uma época que independente de você jogar só jogo de futebol, algo desse jogo chegaria em você, da famosa e hoje rara revista gamers com a capa do Sepiroth matando a Aerith, o jogo de PS1 sempre me remeteu a esse começo do ensino fundamental.

Mais tarde mesmo com um filme ruim, Adventure Children foi um marco e muito comentado nos então fóruns de internet.  Então por mais animado que eu estivesse por esse Remake e com medo da direção do Tetsuya Nomura, criador de Kingdom Hearts que tem boas ideias, mas adora complicar uma narrativa onde não precisa, esse jogo foi uma grata surpresa.

Como os personagens ganharam ainda mais carisma do que já tinha e como toda ironia e piadas da Aerith, agora com dubladas deixaram a personagem ainda mais apaixonante e isso vale para quase todos os personagens. Os gráficos lindos e assima de tudo a evolução do combate que conseguiu encontrar um equilíbrio próprio entre FFXV e Kingdom Hearts pra ficar extremamente satisfatório e viciante. Nos sub menus de armas e matérias além de se inspirar no jogo original, você tem elementos usados em outros jogos da série, como um sphere grid, alá Final Fantasy X, um sistema de aprender o poder que cada arma tem ala o nono jogo da franquia e muitos outras coisas referenciando toda a série.  Eu poderia falar muito desse jogo, mas a internet já discutiu dele aos montes e sem dúvida é um dos melhores jogos de 2020.

Ainda tivemos diversos outros JRPG’S muito bons em 2020, um deles foi a nova versão de Persona 5, que já contei algumas curiosidades, nesse post em 2019. Yakuza 7 virou um rpg de turno de vez e vem sendo um dos mais elogiados da geração.

E você gosta do gênero? Coleciona jogos também?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s