A influência da mitologia cristã em Final Fantasy XV

final-fantasy-15-playstation-4-pro.jpg.optimal

Esse texto pode conter spoilers de Final Fantasy XV

No dia 26 de Março chegou a última DLC que conclui a narrativa de Final Fantasy XV mais de dois anos depois do seu lançamento. O jogo usa muito a própria mitologia do universo da franquia, com summons clássicos, referências ao sexto jogo da série, entre outros. Porém todo Final Fantasy tem um tema guia, além de todas as demais alusões, como o existencialismo no nove, Star Wars no doze e assim em cada jogo numerado da franquia. No XV a referência é clara ao cristianismo e sua mitologia e mais ainda na DLC sobre Ardyn. Outros jogos da série já abordaram o cristianismo, mas até com certa razão ele estava sempre ligado com os vilões e seus desenvolvimentos.

A começar talvez a referência mais clara e que acompanho todo o arco de jornada do príncipe Noctis é o fato dele ser o príncipe aguardado, para restaurar a paz no mundo, a volta do filho prometido, Noctis precisa se tornar o rei dos reis. Uma alegoria a Jesus muitas vezes.

“Em um tempo desconhecido, uma profecia mantem a esperança viva no coração das pessoas. ‘Quando a escuridão cobrir o mundo, o Rei da Luz aparecerá”
―Profecia na terra de Eos, Final Fantasy XV.

Em vários momentos o protagonista é chamado não só de o esperado rei, o rei dos rei, a luz do sol e demonstra tamanho desconforto em ter que atender essas expectativas sobre o seu destino com expectativas grandiosas.

82ee8ebb4d4eb702dc53ff67ce22ecf7
Bahamut em Final Fantasy XV.

As referências de Noctis como Jesus continuam, é seu destino limpar a escuridão da terra, trazer a luz de volta e restaurar seu reino caído. Durante sua peregrinação Noctis apesar de ser o rei escolhido anda e ajuda as pessoas normais, come em dorme nas mais diversas condições sem reclamar ou se postar como rei. No fim do jogo isso ainda fica mais claro, com Noctis passando por provações física, mentais e espirituais até de fato com pesar indo de encontro com o desfecho de seu destino. Ele faz uma última refeição com seus amigos, compartilha sua amizade, aceita e entende a única maneira de cumprir sua profecia. Isso fica muito claro no jogo quando Bahamut fala para Noct:

“O Rei dos Reis terá o poder de banir as trevas, mas o preço do sangue deve ser pago. Para expulsar o Usurpador e inaugurar a luz do amanhecer vai custar a vida do escolhido”

Ainda em seus momentos finais quando a força da luz é restaurada Noctis precisa aguentar o que seria a sua alegoria para crucificação, ele precisa aguentar os 13 ataques dos Reis de Lucis, durante os ataques ele cai tal qual Jesus durante a crucificação, mas com a certeza de sua missão e amor dos amigos e dos que se sacrificaram por ele, Noct se fortalece e continua até receber o ataque de final e morrer com as palavras confiem em mim. Assim através de seus atos ele traz a salvação e a esperança para o planeta.

Por isso, o sacrifico e a redenção é tão importante não só para o protagonista, mas todo o cast de personagens ao redor dele precisam lidar com algum tipo de sacrifício para uma redenção maior que eles, uma redenção que muitas vezes afeta todo o mundo ao seu redor.

Aliás, quase todos os personagens e mais ainda Lunafreya e Noct tem uma obediência leal e muitas vezes quase que nunca questionadora de seus deveres e no caso do casal principal isso é visto em relação a seus destinos decididos pelos deuses, por uma vontade maior, quais mesmo com incertezas eles estão prontos a cumpri-lo sem questionamento.

Se temos diversas referências ao protagonista como Jesus, temos também a referência ao “mal”, que pode ser Lucifer e ter outras tantas interpretações, até mesmo com o pecado de Eva no antagonista desse Final Fantasy, Ardyn.

001

O que faz de Ardyn tão interessante é justamente que ele é um personagem profundo e nada maniqueísta, ou seja, ele não é retratado diretamente como a ideia do satan ocidental, ele acaba sendo uma mistura de mitos cristãos, mas com uma visão de mal e demônio bem mais oriental.

O próprio lore do personagem é uma mistura de Cain e Abel, com todo o drama com os deuses e seu irmão, um toque do mito de Eva, fazendo com que a família Lucis e seu povo seja eternamente desdentes do pecado do seu primeiro rei e irmão de Arydn. Além de obvio toda a relação com Lucifer, sobre ser o caído, o usurpador e querer ir contra os deuses levando a destruição e a escuridão à humanidade. Parte do seu background e da luta final contra Noctis pode ser visto no trecho da bíblia em Apocalipse 20:7-10:

“Quando terminarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão

e sairá para enganar as nações que estão nos quatro cantos da terra…

As nações marcharam por toda a superfície da terra e cercaram o acampamento dos santos, a cidade amada; mas um fogo desceu do céu e as devorou.

O Diabo, que as enganava, foi lançado no lago de fogo que arde com enxofre, onde já haviam sido lançados a besta e o falso profeta. Eles serão atormentados dia e noite, para todo o sempre.”

Além de Noctis e Ardyn, podemos ver outras pequenas referências tomada pelo time da Square. As treze armas reais tem referências a alguns dos apóstolos, como a Star of the Rogue a Judas, por exemplo. E os três companheiros de Noctis estão ligados a 3 apóstolos também. Ignis é a voz da razão do grupo, observa mais do que fala e dificilmente cede à raiva, é mais ligado ao apóstolo Lucas.  Gladiolus é o cabeça quente, o protetor, o mais fiel ao rei, mesmo que muitas vezes fosse duro. Essas também são as características de Pedro, o apóstolo que também já foi chamado de filho do trovão (Marcos 3:17).  E o último dos três, Prompto, o mais afável, o mais velho amigo de Noctis, sempre tentando faze-lo rir. Prompto nas teorias seria a referência ao apóstolo mais amado por Jesus, João.

ffxv-announce-tease_06-23-17

Vale lembrar que tudo isso são apenas influências que a Square usou na criação do mundo e dos personagens, mas ainda sim a própria mitologia da série, do oriente e muitas outras podem ser vista na obra, que pode não ser o melhor jogo da franquia, mas que depois de muito tempo trouxe novamente um bom jogo da franquia numerada.

E você gostou do decimo quinto jogo da franquia? Aguardo seu comentário!

Fontes:

Ardyn Izunia: https://finalfantasy.fandom.com/wiki/Ardyn_Izunia

Christian Symbolism in FFXV:https://www.mognetcentral.com/threads/christian-symbolism-in-ffxv.7260/

Finding God in Final Fantasy: http://www.geeksundergrace.com/gaming/finding-god-final-fantasy-xv/

Final Fantasy XV – Parallels to the Bible (spoilers): https://www.reddit.com/r/Christianity/comments/5tu86a/final_fantasy_xv_parallels_to_the_bible_spoilers/

Final Fantasy XV’s lore is Biblical in nature? (A fan theory) (SPOILERS): https://www.youtube.com/watch?v=mD6g_ROBgnw

Flickers of Faith in Final Fantasy XV: https://thinkchristian.reframemedia.com/flickers-of-faith-in-final-fantasy-xv

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s